Sardas no rosto: como tratar?

Já faz algum tempo que elas deixaram de ser um problema e se tornaram um charme. Tanto é que nos últimos anos elas ganharam destaque entre muitas famosas que aderiram à “trend” de usar maquiagem que simula sardas no rosto

O sucesso da “cara lavada” foi tamanho que os filtros do Instagram também ganharam versões com essas manchinhas que são tão charmosas quanto polêmicas!

Mas afinal, por que algumas pessoas têm sardas no rosto e outras não? O que causa as sardas e como tratá-las? As respostas você confere a seguir!

O que são as sardas no rosto?

Elas são comuns em pessoas com a pele clara, principalmente entre as loiras ou ruivas e a justificativa está na sensibilidade da pele: como sabemos, a pele clara possui menos melanina, portanto, sofre mais com os danos solares. 

As sardas são resultado de um aumento no processo de formação da melanina e esse processo é intensificado pelos raios solares, por isso é possível observar que elas costumam surgir principalmente em regiões que são expostas ao sol com frequência, como rosto, colo e ombros.

Uma questão importante é não confundir as sardas com outras condições crônicas que causam manchas escuras, como o melasma. 

Apesar de, em geral, ser fácil distinguir, já que quem convive com as sardas têm uma predisposição genética, se houver dúvidas é importante buscar a ajuda de um dermatologista para diagnóstico!

Como as sardas no rosto surgem?

Você sabia que ninguém nasce com sardas? Pois é, mesmo que você já tenha visto crianças pequenas com sardas no rosto, a verdade é que elas costumam surgir a partir do segundo ano de vida e tem como causas principais a predisposição genética e a exposição solar!

O excesso de exposição solar, especialmente depois de queimaduras que causam vermelhidão e descamação, desencadeia um aumento na produção de melanina nas áreas mais atingidas pelo sol, formando as pequenas manchas acastanhadas.  

É possível prevenir?

Como mencionado anteriormente: a principal causa das sardas é a exposição solar excessiva e/ou sem proteção. Portanto, a melhor maneira de prevenir é se protegendo do sol. 

Confira alguns cuidados que podem ajudar a prevenir as sardas no rosto

  • Use filtro solar todos os dias, mesmo nos mais nublados ou naqueles em que for permanecer dentro de casa (nesse caso, se possível, use filtro solar com cor, ele é mais eficiente na proteção contra a luz visível, ou seja, a luz das telas). 
  • Não se esqueça de reaplicar. O filtro solar deve ter FPS mínimo de 30 e deve ser reaplicado a cada 2 horas.
  • Use chapéu/boné quando for pegar sol. Além do filtro solar, é interessante usar uma barreira física para proteger o rosto dos raios solares. 

Além de proteger contra o surgimento de manchas, esses hábitos são fundamentais na prevenção do câncer de pele!

Como tratar as sardas no rosto?

Como relatado até aqui, as sardas no rosto não caracterizam uma doença de pele e tão pouco trazem riscos para a saúde. 

No entanto, apesar do sucesso nas redes sociais e nos filtros do Instagram, nem sempre quem convive com as manchinhas se sente confortável e pode haver o desejo de clareá-las. 

Nesses casos existem algumas opções. Confira: 

  • Previna e evite a exposição solar: o simples ato de evitar a exposição solar pode ajudar a diminuir as manchas. 
  • Peeling: o procedimento remove as camadas superficiais da pele, renovando a estrutura celular. Ou seja, remove a pele danificada e ajuda o corpo a renovar as células que formarão uma camada mais lisa e saudável. 
  • Lasers: para quem deseja disfarçar as sardas no rosto, essa pode ser uma boa opção. Essa tecnologia ajuda a suavizar as manchas agindo diretamente nas células que formam a melanina. 
  • Ativos clareadores: sejam cremes, ácidos ou até mesmo protetores solares com substâncias despigmentantes, esses dermocosméticos podem ajudar nos casos mais leves.
  • Luz pulsada: esse tratamento inclui o uso de diversos tipos e comprimentos de ondas de luz que atingem diferentes estruturas da pele, inclusive a melanina. Esse é um método muito eficiente no tratamento de manchas escurecidas. 

Agora que você já sabe que as sardas fazem parte de um processo natural de formação de melanina resultante da ação dos raios solares na pele e que elas não representam nenhum risco para a saúde (desde que você proteja sua pele com filtro solar!), já pode escolher se deseja clareá-las ou adotar o visual natural. 

Independente da escolha, é importante cuidar da saúde da pele e protegê-la dos raios solares. 

Se você deseja clarear as sardas do rosto, consulte um dermatologista para avaliar qual o tratamento mais indicado para o seu caso. 

Conte com a Scipioni

Está interessada(o) em realizar um procedimento para clarear as sardas? Conte conosco! 

A equipe da Scipioni é composta por profissionais qualificados e especializados para realizar procedimentos, diagnósticos, tratamentos e abordagens clínicas de forma humanizada, com foco na segurança, conforto e bem-estar do paciente. 

Entre em contato pelo número (48) 99116-1001 e agende uma consulta.

 

Compartilhar Post