Lifting Facial: 8 coisas que você precisa saber sobre o procedimento

Lifting é uma derivação do verbo em inglês lift, termo que significa “levantar”. No universo da beleza, a palavra é usada para determinar cirurgias que tem como objetivo reacomodar tecidos aos seus lugares de origem, seja por perda de tônus muscular, diminuição de colágeno ou outros aspectos naturais do processo de envelhecimento. É o caso do lifting facial.

Está interessada (o) em saber mais sobre o procedimento? Então essa leitura é feita para você! Acompanhe o texto e tire suas principais dúvidas acerca do lifting facial.

1. O que é o Lifting Facial?

O lifting facial, também conhecido como Ritidoplastia, é um procedimento cirúrgico que tem como objetivo suavizar os sinais de envelhecimento inevitáveis adquiridos com o tempo, da face e pescoço, como flacidez, rugas, sulcos, excesso de gordura, entre outros, proporcionando um rejuvenescimento às regiões.

É muito comum que o lifting facial seja acompanhado de outros procedimentos. Entre eles estão: o lifting de testa, utilizado para a queda dos tecidos da região (flacidez) ou testa e franzida, e a cirurgia de pálpebras (blefaroplastia), para remover o excesso de pele palpebral e as bolsas de gordura da região para rejuvenescer a área olhos.

2. O que é avaliado antes da cirurgia?

Para garantir o sucesso do lifting facial e também a sua segurança durante a cirurgia, é fundamental ser sincero com o cirurgião plástico durante as consultas. Nelas, o profissional irá questionar sobre a sua saúde, anseios e estilo de vida.

Portanto, esteja preparada (o) para conversar sobre os motivos que levaram você a realizar a cirurgia e quais são as suas expectativas sobre os resultados, para falar sobre suas condições de saúde, alergias e tratamentos médicos. Sobre os atuais medicamentos que usa, fumo, consumo de álcool e drogas e cirurgias prévias.

Tudo isso irá auxiliar o cirurgião a avaliar o seu estado geral de saúde para garantir que tudo ocorra bem durante a cirurgia.

3. Quando é indicado?

É importante lembrar que o lifting facial deve ser feito quando a pessoa está insatisfeita com a própria aparência e deseja melhorar o aspecto físico, e não para satisfazer os desejos de alguém ou se encaixar em padrões de imagem ideal.

Vale ressaltar que a cirurgia é reparadora e não tem como objetivo retardar ou interromper o processo natural de envelhecimento. Por isso, o procedimento é ideal para quem deseja corrigir os seguintes aspectos:

  • Flacidez no terço médio do rosto (da parte inferior dos olhos até a região nasolabial);

  • Rugas, sulcos ou marcas de expressão profundas abaixo das pálpebras inferiores;

  • Rugas, sulcos ou marcas de expressão profundas ao longo do nariz que se estende ao canto da boca;

  • Papada e pele frouxa (perda de tônus muscular) e depósitos de gordura na face inferior (queixo e mandíbula).

4. Como se preparar?

Previamente à cirurgia, é necessário avaliar o seu estado geral e todas as condições pré-existentes de saúde ou fatores de risco através de uma consulta pré-operatória e exames complementares.

É necessário parar de fumar com bastante antecedência à cirurgia e evitar certas medicações como aspirina, anti-inflamatórios e medicamentos naturais para não aumentar o risco de sangramentos

Em alguns casos, é necessário ajustar os medicamentos atuais. Tudo isso será discutido com o seu cirurgião plástico.

5. Quem pode realizar a cirurgia?

É fundamental que essa e qualquer cirurgia plástica seja realizada por um profissional capacitado e habilitado, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

6. Quais as contraindicações?

O lifting facial não é recomendado para pacientes que possuem enfermidades sérias pré-existentes, como cardiopatias e diabetes, por exemplo, e quando os exames apresentam alguma irregularidade.

O procedimento também não é indicado para pessoas muito jovens, que queiram apenas um efeito preventivo.

7. Como é feito?

A cirurgia de ​lifting facial é um procedimento individualizado, portanto, a abordagem varia conforme as necessidades do paciente e avaliação médica.

Medicamentos são administrados para seu conforto durante o procedimento cirúrgico. As opções incluem sedação intravenosa e anestesia geral. Quem irá definir qual é a mais indicada para o seu caso é o cirurgião plástico e independentemente do tipo de anestesia usada, o resultado final será o mesmo.

Geralmente, o procedimento dura 3 ou 4 horas, sem contar com o tempo de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Após a cirurgia, o paciente pode ficar em internação entre 12, 24 e 36 horas, dependendo das necessidades de cada caso.

Os resultados do lifting facial irão aparecer conforme o inchaço e hematomas forem diminuindo. Já as linhas de incisão podem começar a suavizar em alguns meses, esse processo varia conforme o organismo de cada paciente.

8. Cuidados após o lifting facial

Após a cirurgia finalizada, o médico deverá cobrir as incisões com uma bandagem, delicadamente colocada para minimizar o inchaço e os hematomas da região.

Em alguns casos, pode ser necessário o uso de um dreno temporário sob a pele para drenar o excesso de sangue e fluído que possam se acumular.

Instruções pós-cirúrgicas como cuidados, medicamentos e outras questões específicas sobre a região e saúde no geral, devem ser esclarecidas na consulta com o cirurgião plástico.

Para manter os resultados, lembre-se de utilizar proteção solar sempre. Isso porque proteger-se dos danos solares pode ajudar a manter a aparência rejuvenescida da pele. Além disso, adaptar-se para um estilo de vida mais saudável, caso você não leve um, auxilia a prolongar os resultados.

Conte com a Scipioni

Ficou interessado em realizar a cirurgia o lifting facial​? Conte conosco!

A equipe da Scipioni é composta por profissionais qualificados e especializados para realizar procedimentos, diagnósticos, tratamentos e abordagens clínicas de forma

humanizada, com foco na segurança, conforto e bem-estar do paciente.

Entre em ​contato​ pelo nosso site e agende uma consulta.

Compartilhar Post